POSTER 13 – EFETIVIDADE DA PREVENÇÃO SECUNDÁRIA: AVALIAÇÃO DO CONTROLO DE FATORES DE RISCO CARDIOVASCULARES

António Fontes(1);Carla Almeida(1);Emília Santos(1);Rita Ferin(2);Sara Ferreira(1);Cátia Serena(1);Carina Machado(1);Raquel Dourado(1);Nuno Pelicado(1);Antonio Miguel Pachedo(1);Anabela Tavares(1);Fernando Melo(1);Maria Leonor Pavão(2);Dinis Martins(1)
(1) Hospital do Divino Espirito Santo de Ponta Delgada (2) DCTD, Universidade dos Açores, Ponta Delgada

INTRODUÇÃO:
Doença cardíaca estável é a manifestação mais prevalente da doença aterosclerótica, apresentando os doentes um elevado risco para o desenvolvimento de eventos agudos. Nas últimas décadas, ocorreram alterações no seu tratamento e na relevância dada ao controlo apertado dos seus fatores de risco.

OBJETIVOS:
Analisar a efetividade da prevenção secundária em doentes com doença cardíaca isquémica documentada.

MÉTODOS:
Estudo de centro único que incluiu 51 doentes consecutivos, com antecedentes de doença coronária documentada no passado, admitidos electivamente para realização de coronariografia por recorrência de queixas de angor e/ou teste de isquémia positivo. Foram avaliados: pressão arterial sistólica e diastólica, colesterol total, colesterol-LDL, colesterol-HDL, colesterol não-HDL, triglicerídeos, glicémia em jejum, índice de massa corporal (IMC), perímetro abdominal e hábitos tabágicos mantidos, aquando da admissão hospitalar.

RESULTADOS:
Amostra de doente constituída por aproximadamente 76% de homens com uma média de idades de 58,3±8,4 anos. Os resultados obtidos revelaram valores médios de colesterol total de 168±40mg/dl,
colesterol-LDL de 102±32mg/dL, triglicerídeos de 186±114mg/dL e IMC de 29±4Kg/m2. Os valores de pressão arterial sistólica, diastólica e da glicémia em jejum encontrava-se, respetivamente, em 128,7±15,5mmHg, 76,2±12,4mmHg e 112,3±29,8mg/dL. Cerca de 26% dos doentes apresentavam colesterol-LDL inferior a 70mg/dL, 22% um IMC inferior a 25kg/m2, 21% dos homens um perímetro abdominal inferior a 94 cm, sendo que nenhuma das mulheres apresentava um perímetro abdominal inferior a 80cm.

CONCLUSÃO:
Os autores realçam a necessidade de atingir um rigoroso controlo dos factores de risco na população estudada, sobretudo nos marcadores associados ao metabolismo lipídico e à obesidade. Estes resultados alertam para a importância de uma vigilância rigorosa do controlo dos factores de risco nos doentes portadores de doença cardíaca isquémica, de modo a evitar a sua progressão e a ocorrência de eventos agudos.

para fazer download do poster clique aqui

Login

Lembrar


Criar novo registo

Lost Password

NOVO REGISTO